Home / Notícias / Aparelhos / Review Moto G6

Review Moto G6

Lançamento de 2018 é vendido com desconto de R$ 100. Celular da Motorola decepciona no desempenho e levanta dúvidas sobre custo-benefício.

Tarefas simples e bateria de boa duração: estes são os atributos que fazem do Motorola Moto G6 um celular interessante para os consumidores brasileiros. A fabricante continua apostando no apelo do preço – agora em torno de R$ 1.299 – para promover o smartphone com ficha técnica intermediária. Estamos falando de um telefone com armazenamento de 32 GB e câmera capaz de fazer retratos. O lançamento deste ano é vendido somente na cor índigo (espécie de azul).

Vale a pena comprar o Moto G6? Eu me debrucei sobre o telefone por algumas semanas para chegar a esta análise. Eis a situação: o G6 está lento para desempenhar uma série de tarefas. Infelizmente, a característica do bom custo-benefício parece ter ficado no passado. Ainda assim, trata-se de um produto que faz sentido para diversos perfis de uso, conforme explico no vídeo e nas linhas a seguir.

Haja paciência

Começo pelo calcanhar de Aquiles do Moto G6: o desempenho abaixo da média, a despeito de trazer especificações que saltam aos olhos. Tome como exemplo o processador Snapdragon 450 com 8 núcleos e velocidade máxima de 1,8 GHz. Ele funciona em conjunto com memória RAM de 3 GB. Na teoria, teria tudo para uma performance bastante consistente, mas a prática nos mostra que este Motorola passa por uma série de engasgos que podem incomodar.

Tocar num aplicativo resulta em espera de alguns instantes até que o telefone exiba o programa em questão. A demora é excessiva e pouco indicada para os ansiosos de plantão – por isso mesmo, manusear o Moto G6 exige doses cavalares de paciência.

De aplicativo que para de responder à sumiço da barra superior: Moto G6 passou por diversos bugs (Foto: Reprodução / TechTudo)
De aplicativo que para de responder a sumiço da barra superior: Moto G6 passou por diversos bugs 

Há ainda o risco latente de passar vergonha diante dos contatos em conversas como as do Telegram. Ao pressionar rapidamente as teclinhas das letras e números, parece que o teclado virtual não acompanha os gestos e acabam saindo palavras erradas. Tornou-se comum escrever a mensagem, enviá-la para a pessoa do outro lado e depois corrigir o que saiu por engano.

A lentidão do smartphone se complica ainda mais quando alguns recursos param de funcionar. Sabe a barra superior do sistema (Android O, no caso)? Ela costuma apresentar os ícones das notificações, o estado da conectividade do celular e o horário. No entanto, passei por alguns episódios em que a barra superior sofreu um verdadeiro apagão. Ela ficou completamente preta e foi necessário reiniciar o Moto G6 para voltar ao normal.

O WhatsApp mostrou-se um caso emblemático. Ao abrir o mensageiro, foi constante a demora para exibir a listagem de bate-papos mais recentes. O software também fechou sem explicação algumas vezes. Quando isso aconteceu, coube a mim reabrir o chat para ver se as informações estavam preservadas.

Smartphone reclama do pouco armazenamento (Foto: Reprodução / TechTudo)
Smartphone reclama do pouco armazenamento

Além dele, o Instagram também não passou despercebido em meio às falhas do produto.

O miúdo armazenamento de 32 GB pode se tornar um problema para quem guarda músicas, fotos, vídeos e documentos. Eu precisei recorrer diversas vezes ao Files Go para deletar arquivos inúteis e tive que desinstalar apps quando o sistema passou a alertar sobre memória lotada. Infelizmente, é uma situação que os consumidores terão de contornar (talvez comprando cartão microSD de até 128 GB).

Convém informar que a Motorola nos emprestou uma unidade de teste extremamente problemática. A pedido da fabricante, concordamos em substituir o produto por outro, enquanto o primeiro foi enviado para avaliação do suporte técnico. “O smartphone foi analisado pela equipe de produtos da empresa e segue funcionado sem apresentar os problemas descritos até o presente dia”, declarou a Motorola em nota.

Câmera dupla

Câmera de 12 megapixels tem efeito retrato (Foto: Bruno De Blasi / TechTudo)
Câmera de 12 megapixels tem efeito retrato

A Motorola chamou atenção por incluir a câmera dupla, recurso que até pouco tempo atrás era visto exclusivamente nos smartphones supercaros. O comprador do Moto G6 tem à disposição uma câmeraprincipal que bate fotos em 12 megapixels e uma câmera auxiliar (5 megapixels) com promessa de fazer retratos – quando o fundo da imagem fica desfocado.

O conjunto fotográfico sofre do mesmo problema relatado acima, com direito a aplicativo nativo de câmera que demora muito para abrir. Sabe aqueles momentos importantes e que precisam ser fotografados com rapidez? O primeiro passo do filhote, o pulo mortal de um amigo na piscina… este tipo de coisa corre o risco de passar em branco se depender do G6.

A fabricante inovou ao introduzir o gesto de chacoalhar o smartphone para ir diretamente para a câmera. Só que, ao fazê-lo, tornou-se normal esperar alguns segundos até que o G6 exibisse a imagem da câmera em tempo real.

Foto feita com o Moto G6 (Foto: Bruno De Blasi / TechTudo)
Foto feita com o Moto G6

Vagarosa, a câmera do Moto G6 produz fotos boas. Não há nada de excepcional nas cores ou na profundidade de campo. Come poeira de telefones voltados para amantes da fotografia, mas que costumam custar mais caro.

O modo retrato enfrenta o mesmo problema de alguns modelos da Samsung devido à dificuldade de detectar o contorno do corpo humano. Foi fundamental entender como o recurso funciona para manuseá-lo da melhor maneira possível, com o objetivo de fazer registros mais bonitos. Tal qual alguns celulares sul-coreanos, a Motorola permite ao donos regular a intensidade do desfoque aplicado ao fundo da cena.

Moto G6 permite ajustar intensidade do desfoque em modo retrato (Foto: Reprodução / TechTudo)
Moto G6 permite ajustar intensidade do desfoque em modo retrato

Recursos de inteligência artificial incluem o seletor de cor (mantém uma tonalidade e converte as demais em preto e branco) e o seletor de objeto (apaga as demais coisas na composição). Ambos decepcionam pelo desempenho ruim.

As fotos com pouca luz perdem definição. É pouco recomendável depender deste smartphone para fazer os registros mais importantes da sua vida.

Moto G6 perde definição quando há pouca luminosidade (Foto: Thássius Veloso / TechTudo)
Moto G6 perde definição quando há pouca luminosidade

A câmera frontal de 8 megapixels é igualmente pouco empolgante. Ao menos ela traz alguns efeitos especiais para adição de máscaras divertidas que as pessoas gostam de mandar em mensageiros, mas raramente topam publicar em plataformas abertas como o Instagram.

Ferramenta da Motorola adiciona stickers a selfie (Foto: Thássius Veloso / TechTudo)
Ferramenta da Motorola adiciona stickers a selfie

Tela agrada muito

A Motorola acertou em cheio ao adotar um formato que vem se popularizando entre os aparelhos intermediários. A tela em 18:9 é mais alongada, possibilitando ao consumidor ver mais posts no Twitterou mais imagens no Instagram. Até a empunhadura do Moto G6 se tornou mais agradável – parece que o telefone fica melhor na mão.

O display de 5,7 polegadas traz cores sólidas, sem excessos que poderiam agradar a uma parcela do público-alvo. Isto se deve ao painel em LCD, cujas tonalidades são mais sóbrias do que o AMOLED e derivados. A experiência de uso foi bastante positiva para ler reportagens ou assistir a vídeos publicados na internet. Parte deste agradável desempenho se deve à resolução Full HD+ (2160 x 1080 pixels) que traz mais definição para o dispositivo.

Moto G6: display de 5,7 polegadas tem cantos arredondados (Foto: Bruno De Blasi / TechTudo)
Moto G6: display de 5,7 polegadas tem cantos arredondados

Cantos arredondados se tornaram uma tendência que traz mais charme para o smartphone e o faz se diferenciar de gerações anteriores. Para completar, o nível de brilho do G6 elevado.

Os botões virtuais ficam ativos por padrão e permitem retornar à tela inicial, voltar para a tela anterior ou exibir os apps abertos recentementes. No entanto, a fabricante quer promover o OneNav, recurso que utiliza o botão home (com eficiente leitor de impressões digitais) para reconhecer gestos.

O funcionamento lembra um trackpad de notebook. Um breve toque faz voltar para a home; o deslizar rápido da direita para a esquerda retorna para a tela anterior; enquanto o movimento oposto abre o multitarefa. A adaptação leva pouco tempo e brinda o consumidor com mais espaço para o que realmente importa no display do telefone. A parte chata está relacionada com o desempenho errante do produto como um todo: há momentos em que o gesto não é reconhecido de imediato, levando o usuário a repetir o comando.

OneNav: navegação com um toque marca investidas da Motorola em sistema com recursos extras (Foto: Bruno De Blasi / TechTudo)
OneNav: navegação com um toque marca investidas da Motorola em sistema com recursos extras

Bateria para um dia inteiro?

O material publicitário diz que a bateria de 3.000 mAh permite ao Motorola Moto G6 ficar “o dia todo” longe da tomada. Falta entender o que a fabricante quer dizer quando cita este período. Seriam as 24 horas que compõem o dia? Caso este seja o parâmetro, podemos classificar a promessa como distante da realidade, tendo como base os testes conduzidos pelo TechTudo.

Moto G6 em uso (Foto: Thássius Veloso / TechTudo)
Moto G6 em uso

O Moto G6 repetidamente ficou quase 14 horas ligado. Durante o review, ele foi utilizado para ouvir rádio via internet e música por streaming, bem como transmissão de séries online durante 50 minutos. Além disso, houve o uso habitual de redes sociais, mensageiros e aplicativo de email.

Podemos afirmar que o G6 possibilita passar o dia de trabalho sem pensar em recarregá-lo. Caso seja necessário devido ao seu uso mais intenso do smartphone, há ainda a recarga rápida que possibilita recuperar 40% da carga em somente meia-hora.

Resumo da ópera: saiba se o Moto G6 é bom

Trago más notícias para os fãs da linha Moto G: o produto excepcional por causa do preço acessível parece ter ficado no passado. O Moto G6 tem processador fraco (apesar de ser um octa-core) e pouca memória RAM. O hardware esmirrado o faz esbarrar em tarefas que se tornaram cotidianas, como abrir o WhatsApp ou mesmo consultar a hora na barra superior.

Ele é indicado para as pessoas que têm paciência de sobra ao operar o smartphone e não se importam com eventuais bugs que certamente vão aparecer pelo caminho. Viciados em fotografia devem passar longe do modelo.

Preço de lançamento do Moto G6: R$ 1.299 (Foto: Thássius Veloso / TechTudo)
Preço de lançamento do Moto G6: R$ 1.299

Acima de tudo, o sucessor do Moto G5 é recomendado para quem comprou um smartphone mais básico há dois, três anos e pensa em fazer a primeira substituição. A tela grandona com cantos arredondados e alta definição tem tudo para ser um belo upgrade em relação a celulares do passado. O formato 18:9 também depõe a favor do G6.

Nós testamos a edição do Moto G6 com armazenamento de 32 GB e memória RAM de 3 GB. Ele tem preço oficial de R$ 1.299 e é encontrado em algumas lojas com desconto de R$ 100. A Motorola também colocou no mercado uma opção com ficha técnica mais potente – 64 GB e 4 GB, respectivamente – por R$ 1.499. Está disponível somente na cor preta.

A linha fica completa com o Moto G6 Play (mais barato e simples) e o Moto G6 Plus (mais caro e sofisticado).

Ficha técnica do Motorola Moto G6

– Tamanho da tela: 5,7 polegadas
– Resolução da tela: Full HD+ (2160 x 1080 pixels)
– Painel da tela: IPS LCD
– Câmera principal: dupla (12 MP e 5 MP)
– Câmera frontal (selfie): 8 MP
– Sistema: Android 8 Oreo
– Processador: Snapdragon 450 (8 núcleos e 1,8 GHz)
– Memória RAM: 3 GB
– Armazenamento (memória interna): 32 GB ou 64 GB
– Cartão microSD: microSD de até 128 GB
– Capacidade da bateria: 3.000 mAh (com carregamento rápido TurboPower)
– Dual SIM: sim
– Telefonia: LTE
– Peso: 167 gramas
– Cores: índigo
– Preço de lançamento: R$ 1.299
– Data de lançamento: 19 de abril de 2018

Fonte: TechTudo

Sobre lokolive

Amante de tecnologia e de games, atuo no mercado de trabalho com TI em uma empresa de Telecomunicações e nas horas vagas, procuro ajudar os amigos do fórum em seus problemas no dia-a-dia e aprender com eles também. ;)

Cheque em breve

WhatsApp Beta reduz tempo para que uma mensagem seja apagada para todos

O WhatsApp Beta atualizou a opção “apagar mensagem” para estabelecer novos limites ao destinatário, segundo divulgou o …

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: